Top Social

Um dia largo tudo e vou comer o mundo

19 de julho de 2011

O início de 2010 foi o momento. Kiko e Maria Martins - ele cozinheiro, ela jornalista – deram início a uma viagem muito especial, em que cruzariam mais de duas dezenas de países para “conhecer o mundo pela barriga”.

Por quatro continentes, e um total de 23 países, percorreram entre Janeiro de 2010 e Fevereiro deste ano uma rota gastronómica pouco convencional, feita da comida real de cada um dos pontos marcados no mapa.

Entraram tanto nas casas de famílias comuns, o que representou a mais pura imersão nas culturas locais, como nos restaurantes dos grandes chefes. Sentaram-se à mesa, comeram e conviveram, atentos às técnicas culinárias e aos gostos e produtos mais ou menos inusitados, sim, mas igualmente à alma das pessoas.

No final de cada paragem, passaram tudo à escrita, para nosso bem. Pudemos lê-los na INTER Magazine e na revista Única, do Expresso, enquanto viravam o globo. De volta a Portugal, lançaram em Junho o livro Comer o Mundo, em que partilham as experiências e receitas conquistadas.

Moçambique foi o primeiro destino da viagem; um país que já lhes era querido, pois tinham ali vivido uma experiência de voluntariado - que, aliás, também impulsionou todo o projecto Eat the World. Seguiram-se Zanzibar, Inglaterra, Turquia, Síria, Jordânia, Líbano, Israel, Dubai, Nepal, Índia, Vietname, Indonésia, Malásia, Filipinas, China, Japão, Canadá, Estados Unidos da América, México, Nicarágua, Peru, Chile, Argentina e Brasil.

Uma viagem dos gostos e dos sentidos, que tão bem os levou a adiar o conforto da vida de recém-casados (verdadeiros descobridores do século XXI, transparecem um amor à moda antiga!) e a seguir um inspirador caminho alternativo. Dizem que foi com o livro que a viagem terminou. Será?

(Fotografia: DR)
Comentar
Enviar um comentário