Top Social

My MAD Special Spots #1: Templo de Debod

11 de março de 2016
No final deste mês faz dois anos que me mudei para Madrid. Tenho vindo a pensar nisso, neste marco, e que tenho pena de não tirar mais fotos nem escrever mais sobre a cidade. Vou escrevendo, mas essencialmente sobre a experiência de estar longe de casa, a montanha-russa de emoções, os sentimentos novos... É bom, tenho a certeza de que um dia mais tarde vou adorar recordar alguns momentos e como me senti numa fase tão life-changing para mim. Ainda assim, é certo que quando voltar para Portugal vou ter saudades disto tudo e querer ter os meus special spots perto da vista e do coração.

É a pensar nisso que dou início a esta fantástica rubrica! E em vocês, que estão a planear uma visita a Mad MAD. Quero partilhar sítios de que gosto, quer sejam restaurantes, bairros, monumentos, lojas, mercados, jardins... ou o bar mais "cutre" (chunga, em bom português) aqui da rua. Não serão sempre os espaços ou zonas mais "in" da cidade, mas simplesmente sítios que me transmitem algo a mim, independentemente das razões e de se são ou não especiais para a generalidade das pessoas.

Vou começar com um clássico, o Templo de Debod.

Foto: Porta-bagagem

Este é um daqueles sítios que, SIM, são mainstream, turísticos, apreciados pelas multidões. Não falta em nenhuma daquelas típicas listas estilo "10 sítios para visitar em Madrid num fim de semana" ou "o que tem mesmo de ver na capital espanhola antes de bater as botas". Normal! É visualmente impactante e, além do mais, está cheio de História. Dizem que o melhor é desfrutar desta beleza ao entardecer. A minha foto, a que se vê acima, foi tirada de noite mas acho que também faz justiça a esta construção vinda diretamente do Egipto... pedra a pedra.

Verdade, o Templo de Debod vivia antes no país de Cleópatra, perto da primeira catarata do Nilo. Construído no século IV a.C. para prestar culto ao Deus Amun, foi em 1968 transferido para Madrid como recompensa pela ajuda que Espanha prestou no salvamento dos templos de Abu Simbel. Uma oferta com valor: trata-se de um dos poucos testemunhos arquitetónicos núbio-egípcios completos fora do Egipto.

Antes de ser inaugurado, em 1972, o Templo foi alvo de uma reconstrução e restauração. Ainda se construiu um tanque para o ladear, como representação do rio nas proximidades da sua localização original. Aceder ao interior, com dois andares, é grátis e vale muito a pena. Encontramos informação da mitologia e sociedade egípcia, hieróglifos e suas explicações. No andar de cima, uma maquete mostra-nos todos os templos que havia em Núbia. 

Mas hoje em dia este é mais do que um sítio histórico: é um sítio de passeios, piqueniques, primeiros encontros, corridas, fotografia e relax. Desde o famoso miradouro, com o tão elogiado fim de tarde, vê-se o parque do Oeste, a Casa de Campo e, no horizonte, a serra de Guadarrama (serra de Madrid). O que fazer? Esperar pelo pôr-do-sol, capturar o lusco-fusco ("são 5, 7 minutos") e acima de tudo desfrutar da vista... mais nobre e rara até do que o leite de burra!


Como chegar

Templo de Debod - Paseo Pintor Rosales, 2, Madrid.
Metro: L3 e L10 - Plaza de Espanha; L3 - Ventura Rodríguez.
Autocarros: 1, 2, 3, 25, 39, 44, 46, 74, 75, 133, 138, 148, C1, C2.


Comentar
Enviar um comentário